“QUEREMOS AÇÕES E NÃO PALAVRAS”

Historicamente mulheres que tentaram ou ocuparam o poder foram tachadas de “loucas”, “histéricas”, “burras”, “nervosas”, entre tantos adjetivos que ouvimos, sutil ou abertamente. No final do séc. XIX  e início séc XX, se intensifica o discurso que desqualifica a mulher chamando-as de “histéricas”. Hoje, séc. XXI, tal discurso persiste através da pergunta “você está de [...]