Minha história deu um livro

Minha história deu um livro

Tenho lido e relido os manuscritos finais do livro que irei publicar com a história da minha vida. Não por vaidade, mas porque realmente faço parte de uma minoria de pessoas que conseguem transformar a própria história. No Brasil, quem nasce nas camadas mais pobres pode levar até 9 gerações para atingir uma renda média.

Eu acredito em inspirações, muito mais do que em fórmulas para ensinar as pessoas a “chegarem lá’.

Tenho os meus ídolos e muitas vezes é uma música ou uma frase inspiradora que me move. As vidas reais, as histórias que nos empoderam e nos tiram da zona de conforto. Se eu tiver que ser uma inspiração, que seja a da minha vida real.

Uma vida em constante movimento e que meu deu alguns títulos: doida, delirante, sonhadora…

Aos pouquinhos, estamos conseguindo mudar a realidade, mas o fato é que sempre houve muito preconceito com as mulheres que fogem de um padrão estabelecido e enraizado na cultura brasileira (em outras também).

Eu nunca fui padrão, prefiro ser fora dos padrões. Sempre estudei e fui curiosa, isso me levou a desenvolver produtos, e é assim até hoje. Mas só fui ter carteira de trabalho há 3 anos, para poder me registrar como jornalista, o único registro que tenho na vida.

A maioria das minhas amigas casou, teve filhos e quando já estavam se aposentando, eu nem tinha plano de saúde. Estava na batalha.

Sofri preconceito de todos os lados, por quase todas as minhas decisões ou pela minha própria condição. Por ser mulher. Por ser solteira. Por ser mãe solo. Por ter mais de 40, mais de 50, mais de 60. Ao mesmo tempo em que a maturidade nos brinda com sabedoria para não sofrer, vamos colecionando cobranças de quem não se conforma com a nossa condição.

Me diziam para prestar concurso, para dar aulas, para arranjar um emprego. Eu, que nunca deixei de trabalhar um dia sequer da minha vida, jamais me senti desocupada. Eu só era “fora dos padrões”. E por isso me continuavam me chamando de louca.

Parece que o tal do “sucesso” caminha de mãos dadas com a loucura e ele realmente chega para quem não desiste no meio da jornada. Aos 55 anos de idade, enfim, parecia ter chegado a minha hora. A marca Inoar despontava no mercado da beleza e, em vez de comprar uma casa ou investir meu primeiro dinheiro, nós investimos na Beauty Fair, a maior feira de cosméticos do Brasil, e fizemos nossa primeira feira no exterior, em Nova York. Lá fiz questão de hastear a bandeira do Brasil, sendo os únicos representantes do país no evento.

Sofremos um duro golpe na volta, ao sermos roubados por um terceirista. Eu podia parar? Podia. Mas a louca aqui não para, não.

Dizem que conselho só se dá a quem pede. E se vocês que leem meu blog e se identificam com minha história me mandam tantas mensagens a respeito da minha vida, acredito que eu possa deixar algumas palavras que inspirem vocês também. Ou que, no mínimo, elas abram espaço para pensar.

Vamos ser loucas sim. Sem medo. É preciso muita loucura para acreditar que somos capazes de vencer, mesmo que já estejamos atravessando meio século de vida. Essa vida louca que tanto pregam não é senão uma vida de coragem, luta e FÉ.

O fruto do nosso ventre

O fruto do nosso ventre

A data de hoje marca algumas décadas do meu parto, feito pelo Dr. Salim no antigo Hospital Sorocabana, na cidade de Assis, no interior de São Paulo.
Foi ali que escolhi ter o meu único filho.

Quando saí da maternidade, carregava um bebê, 55 pontos de cesárea e o preconceito de uma cidade por não ter o estado civil que a sociedade me cobraria a vida inteira.

Se fui mãe solo, nunca estive sozinha. Uma rede de apoio feminina me deu todo o suporte necessário para enfrentar os olhares, questionamentos e condenação por minha opção.

Hoje comemoro o dia em que tive um filho. Parabéns, Alexandre. A você e a todas as mulheres de nossas vidas: Elza, Helena, Cecília, Zene, Bina, Silvana, Jandira Baldani, Ana Maria, Dona Maria foram parceiras e o suporte emocional que me amparavam enquanto precisava trabalhar – inclusive para pagar meu parto, sozinha.

Foram elas, as mulheres da minha vida, que embalaram você, nossos sonhos e a quem também devemos agradecer.

Para aqueles que me julgaram ou que por um momento possam ter nos condenado, para a mesma sociedade que tanto me adjetivou por meu caminho, trouxe à vida um homem que me enche de orgulho.

Trabalhador, responsável, empresário que gera tantos empregos, pai honrado de uma família, um ótimo marido e um pai maravilhoso para o meu neto. Feliz aniversário!

Eu celebro este dia tão especial, pelo que ele significou para todos nós. E hoje vejo que aqueles que me apedrejaram por ter escolhido seguir em frente, com você no meu colo e de cabeça erguida, estão sentados em suas casas enquanto eu continuo não aceitando os padrões de quem quer me fazer parar.

Inocência Manoel

Dia Internacional da Mulher

Dia Internacional da Mulher

Neste Dia Internacional da Mulher, resolvi trazer histórias de mulheres que foram chamadas de loucas, mas que não estão no comercial da Nike.

Mulheres que mudaram o mundo, que nos inspiram a mudar a nossa condição, que nos dão força para continuar quebrando padrões. Não precisamos de medalhas, temos nossa voz.

A história está cheia de mulheres que superaram não só o preconceito, mas que quebraram paradigmas. Hoje é dia de celebrar cada uma delas.

Com vocês, a voz das mentes femininas sobre a vida, o sucesso, a felicidade:

“O maior conselho que já dei à minha filha é que todo dia eu digo: ‘Genesis, quais são as suas duas melhores partes?’. E ela diz: ‘meu cérebro e meu coração’. Digo: ‘você precisa se lembrar disso, Genesis. Precisa se lembrar que você não é a sua aparência‘, sabe? Acho que essa é a melhor dica de beleza que eu poderia dar a ela.”
– Viola Davis, atriz

“Não gostar de mim é um direito seu, agora fingir que gosta já é falta de caráter.”
– Amy Winehouse, cantora

“Uma criança, um professor, um livro e um lápis podem mudar o mundo.”
– Malala Yousafzai, defensora dos Direitos Humanos

“Aquele que é feliz espalha felicidade. Aquele que teima na infelicidade, que perde o equilíbrio e a confiança, perde-se na vida.”
– Anne Frank, jovem judia morta pelo nazismo

“Sozinhos, pouco podemos fazer; juntos, podemos fazer muito.”
– Helen Keller, primeira pessoa cega e surda a conquistar um título de bacharelado

“A verdadeira generosidade consiste em entregar-se completamente e, mesmo assim, sentir que não lhe custou nada.”
– Simone de Beauvoir, filósofa francesa

“Quanto mais velha eu fico, mais me interesso pelas mulheres. Ainda não conheci uma mulher que não é forte. Elas não existem.”
– Diane von Furstenberg, economista e estilista belga

“Quando você tropeçar, mantenha a fé. Quando for nocauteada, levante rápido. Não ouça quem diz que você não pode ou não deve continuar.”
– Hillary Clinton, Secretária de Estado dos Estados Unidos

“As rosas da resistência nascem no asfalto. A gente recebe rosas, mas vamos estar com o punho cerrado falando de nossa existência contra os mandos e desmandos que afetam nossas vidas.”
– Marielle Franco, vereadora assassinada

“Se eu não fizer pelos outros o que não fizeram por mim, não teria aprendido nada.”
– Inocência Manoel

 

 

De alquimista dos cabelos a transformadora de histórias

De alquimista dos cabelos a transformadora de histórias

Desde quando eu tinha um salão e criava fórmulas caseiras − fato que me levou a ser conhecida como “alquimista dos cabelos” –, trabalhando todos os dias e muitas noites, havia dentro de mim a ânsia de desenvolver produtos inovadores que satisfizessem meus desejos e os dos consumidores.

A beleza tem o poder de transformar até mesmo os estados de espírito. As mulheres usam a aparência, os cabelos especialmente, para marcar momentos importantes de suas vidas. Promoções, novos relacionamentos, tudo é motivo para repaginar. Cuidados estéticos são parte do universo feminino. Agregam identidade e levam empoderamento às mulheres, permitindo-lhes, inclusive, competir no mercado com mais segurança, mudando suas vidas e as de seus familiares. Partindo deste conceito, a Inoar deixou de ser um sonho para ser a empresa que é hoje. Sabemos que mulheres que se sentem bonitas são capazes de conquistar qualquer coisa. Nossa convicção é tão grande, que também a divulgamos por meio de nossos projetos sociais, afinal, a beleza deve ser democrática.

O compromisso com produtos inovadores é marca da Inoar também. A principal característica da empresa que fundei com meu filho, Alexandre Nascimento – cuja administração nos faz reconhecidos no mercado nacional e internacional −, é o pioneirismo. Estamos sempre à frente ao criar produtos para os cabelos e para a pele, atentos às necessidades do mercado, mas com identidade exclusiva.

A prova de que nossa filosofia é inovar em todos os aspectos está na forma como posicionamos nossa marca e nas diferentes maneiras que nossos produtos podem ser usados. É um marco na Inoar o lançamento do primeiro redutor de volume sem formol no mercado. Fomos a primeira empresa a utilizar o ácido glioxílico, em 2005, uma das maiores descobertas do segmento, levando o nosso país a um elevado patamar também em cosmetologia. Este ativo, um verdadeiro sucesso na Europa, foi incluído no PCPC (Personal Care Product Council) – uma associação da indústria americana de cosméticos − e no COSING (Cosmetic Ingredient Database), banco de dados da Comissão Europeia, com função alisante dos cabelos, devido à descoberta da Inoar.

A qualidade e a responsabilidade socioambiental são compromissos cotidianos na Inoar. Da mesma forma, a beleza é algo presente no nosso dia a dia. É conceito abstrato que transformamos em algo tangível por meio dos nossos produtos. Desde os ativos, a escolha de fragrâncias exclusivas, até o desenvolvimento de shapes de embalagem, nada é aleatório.

Ao mesmo tempo em que temos o compromisso com nossos consumidores, também ajudamos a movimentar o mercado desde sempre. Minhas primeiras criações vinham em frascos pretos; fomos a primeira empresa a usar um frasco soft touch; nunca antes no Brasil uma empresa havia levado shampoo e condicionador de 1 litro para o varejo; para nosso óleo de Argan, carro-chefe da Inoar, usamos o conceito da perfumaria, colocando o produto num vidro jateado com tampa revestida e com perfume raro e marcante, reconhecido no Brasil e no exterior.

Nossos produtos demandam qualidade e visual exclusivo, e o design é parceiro no crescimento dos negócios. Por isso a Inoar também é pioneira na customização de frascos. Para que nossos produtos possam se destacar neste mercado da beleza, não poupamos esforços para termos algo único, por vezes envolvendo processos artesanais na confecção de nossos frascos, como, por exemplo pintura com tinta automotiva para chegar numa cor só nossa. O nosso critério é termos nas embalagens a nossa identidade.

Quando pego um frasco da Inoar nas mãos, não vejo um produto, um shampoo, um creme. Vejo a minha vida inteira ali. A embalagem, a fragrância passam toda a nossa história, e os nossos consumidores se identificam com ela. Nós trabalhamos assim: queremos deixar algo concreto para a história da Inoar, fazendo parte da vida das pessoas. Se pensarmos que a beleza é passageira, por outro lado um produto desenvolvido com tanta coisa para contar acaba se tornando eterno.

Inocência Manoel

Segredos Made in Brazil Por Inocência Manoel

Segredos Made in Brazil                              Por Inocência Manoel

O Brasil é o país com mais tipos de cabelo no mundo. A maioria é formada por variações de fios cacheados e crespos, como já mostraram diversas pesquisas. Isso é fruto da nossa história, da nossa miscigenação. E ter essa gama toda de fios por aqui nos torna um dos maiores mercados de produtos capilares no mundo e uma terra de muitos especialistas em cabelos. Somos um centro de pesquisa contínua.

Além de toda essa “mistura”, há algo especial no Brasil também na forma de tratar os fios. As brasileiras são muito informadas e têm um ritual diferente para cuidar dos cabelos. Quando elas querem conhecer algo, vão a fundo. Não é diferente com os cabelos. A brasileira lê rótulo, ela se importa com os ingredientes dos produtos e muitas delas realizam seus procedimentos estéticos em casa, mas boa parcela da população também não dispensa os tratamentos em salão.

Recentemente dei uma entrevista para o site americano  Mane Addicts e me perguntaram quais são as tendências por aqui. Há 10 anos havia uma grande tendência em reduzir volume ou alisar, mas este cenário mudou bastante nos últimos anos. Os cabelos crespos são maioria no Brasil e grande parte das brasileiras está feliz com seus cabelos naturais. As buscas por cuidados com cabelos crespos e afros teve um crescimento muito expressivo nos últimos anos (mais de 200%).

Tudo isso é reflexo do empoderamento feminino e de uma nova postura de assumir a própria beleza, não espelhada em estereótipos.

Outra coisa que me perguntam é sobre os segredos da brasileira para cuidar dos cabelos. Ele é mais simples do que se imagina. Há ingredientes poderosos em casa! Eu mesma costumava fazer minhas primeiras alquimias com o que encontrava no quintal da minha mãe. Usava babosa para amaciar os fios, óleos para umectar. Babosa é super usada e inclusive são plantadas em vasos, quando as pessoas não têm quintal.

Foi assim, tendo essa familiaridade com diversos tipos de produtos, que comecei, misturando produtos naturais e analisando os resultados. Nossa flora é muito rica e os segredos passam de mãe para filha. Por exemplo: babosa , alecrim, manjericão, chá de goiaba , frutas como a manga , banana são usadas para tratamento de cabelos , hidratação, brilho, fortalecimento.

O chá de goiaba é super conhecido para o crescimento dos fios. Uma mistura de banana, mel e óleo de coco batido no liquidificador é muito usado para fazer hidratação. Manga, mel e óleo de amêndoas também servem para hidratação e brilho. Chá de camomila para clareamento natural dos fios. Existe um universo de possibilidades na natureza do Brasil.

Os óleos vêm fazendo muita diferença na vida das brasileiras. Desde que a Inoar lançou o óleo de argan no Brasil, temos sentido que este tipo de produto veio para ficar. O óleo é multifuncional, ele se adapta bem para diversos tipos de fios. Agora lançamos outros óleos, por exemplo o de coco, que é bastante utilizado nos cabelos cacheados e crespos, com sucesso – este é o campeão; usado antes, durante e depois da lavagem dos fios.

Os diferentes tipos de óleos têm funções multifuncionais desde o crescimento até o fortalecimento e reconstrução dos fios por conta do peso molecular. Há óleos com um poder de penetração incrível! Com tanta pesquisa, acabei escrevendo um livro somente sobre óleos e virei especialista no assunto.

Outra mudança que comemoro: as brasileiras confiam nos produtos naturais, botânicos. No Brasil, como em muitas partes do mundo, há uma imensa procura por produtos mais naturais, sem ingredientes de origem animal, sem testes em animais, os cosméticos veganos. Seja por um reflexo da dieta ou por questões ambientais e animais, a procura por cosméticos veganos nunca foi tão grande.

E, além disso, elas também confiam nos produtos com performance de salão. Como todos os consumidores, elas acreditam no que funciona e também nos produtos que têm composição livre de ingredientes que possam causar danos à saúde, ao meio ambiente, aos animais. A brasileira é engajada, e eu tenho muito orgulho de atender essa demanda!

IMPOSSÍVEL PERMANECER INDIFERENTE

kafka
fonte: http://thequietus.com/articles/21607-kafka-trial-anniversary-80-years-trump-inauguration-america-politics

“Kafka e Lula! Um processo? Garantias individuais ou a lógica perversa do absurdo? Impossível permanecer indiferente. Como não chorar quando sombras espessas tonalizam a democracia!

É grave o luto que escurece as sílabas constitucionais! Pincelaram midiaticamente as repulsivas cores do presumível: CULPADO!

Espantosa ruína do direito! Um Salomão esquecido caminha sonâmbulo enquanto uma biografia se estilhaça! Altares para a pompa! Hipocrisia de lépidos abutres!

Eu os acuso por atentarem contra a constituição, por atentarem contra a Lei Sagrada do Humanismo.”

O texto que hora compartilho é do professor e escritor gaúcho Andre Agostini.

 

Inocência Manoel