Sobre Não Deixar Ninguém para Trás

Sobre Não Deixar Ninguém para Trás

No último post, vocês puderam ler sobre a minha participação na Semana dos Líderes do Pacto Global das Nações Unidas 2019, em Nova York.

Como já divulgamos, o Pacto da ONU é a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, e estar presente ao lado de verdadeiros líderes não é só uma grande oportunidade, mas uma ressignificação do compromisso que eu tenho com a empresa, com o projeto social Beleza Solidária, com a vida de pessoas, de animais e do nosso planeta.

Foram dias intensos, começando pelo meu encontro com representantes indígenas do Brasil. Cacique Raoni, que recebeu um prêmio pelo seu engajamento com a floresta Amazônica e o desenvolvimento sustentável, fez um apelo para toda a comunidade internacional, para unir todos os povos, de todas as florestas, para acabar com o desmatamento, acabar com o garimpo, acabar com a poluição dos rios.

Pude conversar com Kaiulu, representante e presidente das mulheres xinguanas, que me falou que o objetivo da ida a Nova York era levar a voz do povo indígena e que espera sensibilizar a sociedade não-indígena sobre que está acontecendo no Brasil, e como seu povo vem sofrendo ataques diversos.

Além disso, participei do 4º Fórum Empresarial dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que promoveu diálogos público-privados com executivos de empresas que vêm fazendo a diferença no mundo, como Google e a Verizon.

Também fui convidada para o evento Trailblazing Women Reception (Recepção das Mulheres Pioneiras), uma noite de inspiração, apresentando executivas fundadoras e empreendedoras e seu impacto nos negócios, no planeta e na sociedade. Assisti a cases das mulheres na liderança de empresas como Mastercard e Deloitte, que trouxeram dados importantes de como a presença feminina torna os negócios mais rentáveis, embora o número de líderes do sexo feminino ainda seja muito reduzido. A ideia é promover a igualdade de gênero de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (meta 5 do Pacto Global).

Sem dúvida nenhuma, um dos momentos mais emocionantes foi ouvir o Vice-Presidente da ONU, Paul Polman, que nos lembrou que as metas de desenvolvimento são uma parceria com a humanidade, acima de tudo.

A maior lição que o Pacto Global nos ensina, afinal é “Não Deixar Ninguém para Trás”.

Nós, como líderes, temos que ser exemplo. Temos que ser solidários e temos por obrigação lutar pela igualdade, justiça social, combate à fome, à pobreza, lutar por educação, pois sem isso não se fura a bolha da miséria. Temos que todos os dias fazer bem a alguém. Quero ser uma pessoa que inspira as pessoas a ajudarem o próximo e que nunca se acomodem.

Somos a geração que vai transformar promessas em realidade! Convido todos vocês a conhecerem mais sobre o Pacto Global e suas 17 metas neste vídeo e nos canais da Inoar. 2030 está logo aí e temos muito a fazer.

#GlobalGoals # OurOnlyFuture #GlobalCompact #ODS # SDG #Agenda2030

Co-fundadora da Inoar Cosméticos participa de Fórum na Organização das Nações Unidas

Co-fundadora da Inoar Cosméticos participa de Fórum na Organização das Nações Unidas

Painéis com líderes de diversos setores trouxeram soluções para empresas implementarem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU

Nova York, 25 de setembro de 2019 – O 4º Fórum Empresarial dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foi realizado em Nova York, no dia 25 de setembro de 2019 e contou com uma plataforma única de múltiplas partes abertas ao diálogo para alcançar os ODS da ONU – promovendo diálogos público-privados, catalisando novas parcerias e alianças e explorando soluções empresariais inovadoras para acelerar o desenvolvimento sustentável.

Inocência Manoel, co-fundadora da Inoar Cosméticos, participou do Fórum, realizado durante a Cúpula dos ODS de 2019 da ONU, que será realizada sob o tema: “Transformando Promessas em Realidade”.

Lise Kingo, diretora executiva do Pacto Global da ONU, e Liu Zhenmin, subsecretária-geral de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas, abriram o evento que seguiu com o painel Financiamento Sustentável para 2030, com a participação de Madelyn Antoncic, CEO da Fundação SASB; Sir Suma Chakrabarti, Presidente do Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento; Farzanah Chowdhury, diretora executiva da Green Delta Insurance; Alberto De Paoli, Diretor Financeiro da Enel. O painel abordou as ações que  empresas podem criar para integrar de maneira tangível os ODS nos seus processos operacionais, como investidores podem apoiar uma mudança em direção aos modelos de negócios alinhados com a sustentabilidade e como as multinacionais podem ajudar micro, pequenas e médias empresas a financiar seus planos para adoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Seguindo a programação, o painel O Futuro dos Negócios trouxe um cenário de mudanças para os negócios, como as empresas estão incorporando os ODS em suas organizações, como a tecnologia vai transformar a mão de obra e quais são as implicações e como a ação para o clima pode lançar as bases para um mundo mais sustentável. Os participantes foram unânimes em afirmar que é urgente alcançar os objetivos propostos pelo Pacto Global, que é preciso uma mudança de comportamento geral e que ao mesmo tempo em que novas tecnologias surgem a cada dia, é importante pensar no lado humano, em melhores relações de trabalho e no bem-estar das pessoas, na redução do desperdício, na erradicação da fome. O painel teve a participação de Claudia Azevedo, CEO da Sonae; Gamze Cizreli, Sócia Fundadora e CEO da Big Chefs Café e Brasserie; Flora Mutahi, diretora executiva e diretora executiva da Melvin Marsh; e Rose Stuckey Kirk, da Verizon Communications.

O painel “Ambição Escalável” contou com a participação do presidente das Maldivas, Sr. Ibrahim Mohamed Solih; Cyrill Gutsch, Fundador da Parley for the Oceans; Pamela Molina, diretora executiva da Agrolibano; e Kent Walker, vice-presidente sênior de assuntos globais e diretor jurídico do Google. O presidente das Maldivas trouxe à tona a “crise do plástico”, e como o país está comprometido com a busca de novas tecnologias e materiais que reduzam o uso de plásticos. O painel destacou empresas que foram além no cumprimento das metas, como o Google, que vem trabalhando para reduzir a pegada de carbono, com o uso de energia limpa, fornecimento de tecnologia acessível e investimento em inteligência artificial.

Os participantes ainda comentaram sobre as dificuldades de implanta uma cultura de desenvolvimento sustentável em modelos de negócios e Pamela Molina lembrou que a realidade do mundo é ainda de pobreza extrema e do quanto é importante “não deixar ninguém para trás”.

Finalizando o Fórum, John W.H. Denton, Secretário-Geral da Câmara Internacional de Comércio, chamou à plenária o Presidente da Câmara de Comércio Internacional e Vice-Presidente da ONU, Paul Polman. Sem dúvida nenhuma, o discurso mais emocionante do evento, foi marcado pela reflexões: como cuidar de um planeta em que cada indivíduo deixa sua pegada de carbono? Paul lembrou que as empresas precisam trazer as metas globais para dentro de sua essência e que cada negócio pode fazer algo, não pode ficar paralisado. O vice-presidente da ONU lembrou ainda que as metas de desenvolvimento são uma parceria com a humanidade. Cada um dos líderes presentes foi lembrado que a realidade do planeta é que muitas pessoas não sabem o que vão comer no dia seguinte e que o custo de não fazer nada será sempre o mais caro.

Inocência Manoel acompanha a agenda do Fórum e diz: “Nós, como líderes, temos que ser exemplo. Temos que ser solidários e temos por obrigação lutar pela igualdade, justiça social, combate à fome, à pobreza, lutar por educação, pois sem isso não se fura a bolha da miséria. Temos que todos os dias fazer bem a alguém. Quero ser uma pessoa que inspira as pessoas a ajudarem o próximo e que nunca se acomodem.”

Sobre a Inoar

Empresa brasileira referência no mercado nacional e internacional, a Inoar Cosméticos traz em seu DNA a essência de seus fundadores: a criação de produtos inovadores pelo olhar único de Inocência Manoel, Diretora de Marketing e Criação, e a administração dos negócios de Alexandre Nascimento fazem da Inoar uma marca de cosméticos inspirados em vários tipos de pessoas, com inovação, tecnologia de ponta e o know-how de quem entende as necessidades de profissionais e consumidores finais.

http://www.inoar.com
Facebook: Inoar Brasil
Instagram: @InoarBrasil
Tel.: +55 11 4135-4555

Co-Fundadora da Inoar Cosméticos participa de Fórum de Desenvolvimento Sustentável em evento do Pacto Global da ONU em Nova York

Co-Fundadora da Inoar Cosméticos participa de Fórum de Desenvolvimento Sustentável em evento do Pacto Global da ONU em Nova York

Neste ano, marca lançou sua primeira coloração e tonalizante com formulação 100% veganos do mercado

São Paulo, setembro de 2019 – A co-fundadora da Inoar Cosméticos, Inocência Manoel, participa, na próxima semana de eventos na sede da ONU, em Nova York: Fórum de Desenvolvimento Sustentável (SDG Forum), que apresentará informações do Relatório de Progresso do Pacto Global da ONU de 2019 – um balanço dos esforços das empresas participantes para incorporar os dez princípios sobre direitos humanos, trabalho, meio ambiente e anticorrupção em seu trabalho, e da Trailblazing Women Reception (Recepção de Mulheres Pioneiras), que lançará outra iniciativa global, relacionada à igualdade de gênero, a Target Gender Equality.

Desde Março de 2019, a Inoar Cosméticos apoia o Pacto Global das Organizações das Nações Unidas, maior iniciativa de sustentabilidade empresarial do mundo, que convida empresas a alinharem as estratégias e operações com os princípios universais de direitos humanos, trabalho, meio-ambiente e combate à corrupção, e a tomarem medidas que promovam objetivos sociais.

“As ações práticas que a Inoar vem desenvolvendo ao longo dos anos têm total sinergia com os princípios estabelecidos pelo Pacto Global. A participação nesta grande iniciativa da ONU, reforça tudo aquilo em que sempre acreditei”, diz Inocência Manoel, co-fundadora, Diretora de Marketing, Criação e Desenvolvimento da Inoar, que neste ano inovou novamente ao lançar a primeira linha de coloração e tonalizante com formulação 100% vegana do mercado durante a Beauty Fair 2019, maior feira de beleza da América Latina. Além disso, há três anos, a marca faz parte da lista do PETA (Associação de Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) de empresas “livres de crueldade” (cruelty free) e vegana para sua linha de produtos capilares. Isso significa que esses produtos passam por testes, mas nunca em animais.

A Semana dos Líderes do Pacto Global da ONU, de 23 a 27 de setembro, oferecerá aos líderes empresariais a oportunidade de se reunir com o governo, a sociedade civil e os líderes da juventude para identificar ações claras para responder à crise climática e acelerar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A semana apresentará uma série de diálogos de alto nível que se alinharão às agendas das reuniões intergovernamentais da semana de alto nível da 74ª sessão da Assembléia Geral da ONU, incluindo mudança climática, saúde, financiamento sustentável e o Fórum de Desenvolvimento Sustentável.

Precisamos falar sobre suicídio

Precisamos falar sobre suicídio

Você provavelmente tem visto nas suas redes sociais algumas campanhas do Setembro Amarelo. Você também deve ter algumas opiniões formadas a respeito deste assunto e certamente fica completamente em choque quando ouve falar sobre um suicídio. Especialmente quando acontece mais perto do que gostaria.

Os dados são estarrecedores: cerca de 800 mil pessoas acabam com suas vidas todos os anos no mundo, o que equivale a uma morte a cada 40 segundos. Pior para nós, brasileiros: a taxa de suicídios a cada 100 mil habitantes aumentou 7% no Brasil, ao contrário do índice mundial, que caiu 9,8%, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No último fim de semana comecei a receber mensagens muito suspeitas de uma amiga. Como estamos em campanha de prevenção do suicídio, eu já tinha lido alguns sinais de alerta:

Frases suspeitas: “não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer” podem ser um pedido de ajuda. Mas em alguns casos, como no da minha amiga, vinham em tom de despedida.

Mudanças comportamentais: mudanças de humor, sono excessivo ou insônia, desorganização repentina, abandono das atividades,

Uso de álcool e drogas: aumento de uso dessas substâncias, como que para fugir ou desligar-se.

Suspeitei que havia alguma coisa muito errada e por isso acionei o Corpo de Bombeiros, que a socorreu após uma tentativa de tirar a própria vida. E vi que muitas vezes a própria pessoa não entende o que está acontecendo consigo mesma. Por isso é importante quebrar o tabu que é falar sobre o suicídio e a depressão e entender que eles são de fato uma doença e devem ser tratados como todas as doenças: com médicos e profissionais especializados.

Como em muitos temas ligados à saúde, preconceito e desinformação têm atrapalhado o manejo adequado do suicídio. É importante falar com a pessoa que está doente: “Hey, você não está sozinho. Você tem uma doença e ela tem tratamento. Procure um médico. Vem, vamos juntos.”

Muitas vezes é isso que irá salvar uma vida. Se você sentir que algo não está bem, fale. A conversa pode aliviar a angústia e a tensão geradas por seus pensamentos.

A campanha Setembro Amarelo tem origem com a história do casal Dale Emme e Darlene Emme, que perdeu um filho aos 17 anos de idade. Mike, o garoto, gostava de carros e restaurou um Mustang amarelo, mas tirou sua própria vida sem que os amigos e a família percebesse os sinais de que algo não estava bem. Em seu funeral, uma cesta de cartões com fitas amarelas presas a eles estava disponível para quem quisesse pegá-los com a mensagem: “Se você precisar, peça ajuda.” A fita amarela foi escolhida como símbolo do programa que incentiva aqueles que têm pensamentos suicidas a buscar ajuda. Em 2003 a OMS instituiu o dia 10 de setembro para ser o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, e o amarelo do Mustang de Mike é a cor escolhida para representar este sentimento.

Se você assistiu Bird Box, talvez tenha se impressionado com as cenas de suicídio presentes na trama. O filme conta a história de uma mãe (vivida por Sandra Bullock) que tenta manter os filhos vivos após a invasão de criaturas alienígenas. No longa, quem olha para os monstros imediatamente comete suicídio. Por isso, a protagonista permanece vendada a maior parte da história. Talvez você também tenha lido a teoria de que as criaturas (que ninguém vê) são uma alegoria da depressão.

Isso tudo passa a fazer sentido quando a gente traz o assunto à tona. Falar da depressão, do suicídio, de doenças mentais, não pode ser um tabu. Não podemos vendar mais os nossos olhos.

Se você precisar, peça ajuda: Ligação gratuita: CVV 188 | Samu 192

O que fazer com aquilo que te fizeram?

O que fazer com aquilo que te fizeram?

Todos nós temos as nossas lutas pessoais, sei muito bem disso. Os tempos andam sombrios e, com eles, descobrimos o lado negro da força de cada um.

No entanto, existe uma lição em cada situação vivida e é justamente esse processo que faz com que possamos aprender e fazer diferente.

 Em primeiro lugar, nem sempre dá para ficar calado. Expressar os sentimentos faz parte do processo de cura, então falar sempre fará bem. Essa história de engolir sapo, como vocês sabem, não ajuda. Quando você se cala, o falatório dentro de você é grande.

Quando a gente deixa pra lá, muitas vezes perde o espaço tão suado que conquistou. Não, não deixem tudo pra lá. Releva o que não tem importância, mas, se tem importância, vá até o fim.

Se expressar é mais que um direito, posso dizer que chega a ser uma dádiva. Saibamos fazer uso disso. Alguns se expressam falando, outros pela arte. Eu me expresso, muitas vezes, criando. Quantos produtos fiz que estavam querendo dizer algo? Aquilo que me fizeram, portanto, vira uma lição, vira algo novo e muito melhor.

Tudo o que venho construindo há tantos anos, no fundo, é isso: um grande recado da minha vida. Para quem quiser entender.

 Bom fim de semana.

O que esperar da Beauty Fair 2019

O que esperar da Beauty Fair 2019

Chegou setembro e com ele os dias de Beauty Fair. Há mais de 10 anos, a Inoar participa deste evento que, hoje, é reconhecido como a maior feira de beleza das Américas, superando os números do exterior e abrindo grandes oportunidades de negócios.

 Para este ano, estamos preparando lançamentos grandiosos que vêm reforçar o nosso posicionamento de desenvolver cosméticos veganos. Muito mais do que uma tendência, é uma realidade que veio para ficar.

 Todos os nossos produtos são fabricados SEM a utilização de matérias-primas de origem animal e jamais são testados em animais (prática sempre repudiada pela nossa companhia) e se isso antes era uma luz no fim do túnel, agora é um farol aceso indicando a direção mais do que certa.

 Você poderá conferir o lançamento da primeira coloração e do primeiro tonalizante VEGANOS com performance profissional, que lançaremos no evento. Poderá conhecer a linha Go Vegan, com shampoo, condicionador e máscara, criados apenas com ingredientes botânicos e com enxágue rápido – assim você não desperdiça mais água do planeta.

 Você continuará vendo uma Inoar compromissada com a sua liberdade de cuidar do cabelo de um jeito natural, valorizando os cachos, os ondulados, os afros e celebrando a diversidade da beleza.

 Poderá ver linhas profissionais e de exportação que criei para quem busca tratamentos seguros e com resultados naturais.

 Além de muitos outros lançamentos, a Inoar na Beauty Fair vem com a maior loja com mais de 500 itens de uma só marca no evento. E você terá acesso a muita informação com a nossa equipe apaixonada pelo que faz.

 O mercado respira novidades, e elas estarão esperando você na Beauty Fair.

Nos vemos lá.

Beauty Fair 2019

7 a 10 de setembro

Expo Center Norte

 

Inocência Manoel

Not today (hoje não)

Not today (hoje não)

Nós não somos a mesma pessoa todos os dias. Por mais que se mantenham rotinas, hábitos, horários, o eu de amanhã não será o mesmo eu de agora. Assim como acontece com a nossa pele e com os nossos cabelos, que sentem pequenas mudanças climáticas e de humor, todas as transformações da vida nos impactam diretamente.

Quem me conhece de perto sabe bem da minha energia. Ela parece ser inesgotável. E na maioria das vezes é, sim, de fato. Tenho meus afazeres de empresária, que não são poucos, e estou trabalhando 100% do meu tempo. Mesmo nos meus momentos de lazer, estou estudando, pesquisando. Não somente porque esta indústria não para, mas porque estar em atividade faz parte da minha essência.

Na maior parte do tempo, estou envolvida com coisas que não são para mim. Estou criando, pensando nas demandas de tantas outras pessoas. Estou cuidando do projeto Beleza Solidária, estou ouvindo pessoas e seus problemas. Gosto do lado humano e social, mais do que vocês podem imaginar.

E isso demanda uma energia sem tamanho e que eu nunca irei medir, pois não é o ponto. Mas às vezes, bem às vezes mesmo, entrego os pontos e vocês precisam saber: é preciso uma baita coragem para me aquietar e me recolher também.

Já disseram que esmorecer é muito diferente de enfraquecer. Aliás, é saber que não é preciso ser forte o tempo todo.

“Não estou. Não estou disponível. Não posso. Não dou conta. Hoje não.”

A alma precisa descansar também e isso não é enfraquecer. A gente precisa se dar o direito de se recolher para tentar entender o que está acontecendo na nossa vida. Colocamos tanta energia no que fazemos, que exige tempo, trabalho intelectual, e temos sim que parar.

Esmorecer faz parte da vida. É um ato de se recolher de forma consciente para entender o que está acontecendo.

Todos nós tempos momentos difíceis na vida. Falo isso sem nenhum medo, pois eu pude me aquietar e entender 100% dos “perrengues” pelos quais passei. Enfrentei e enfrento cada uma de minhas dores com coragem, para poder entendê-las em sua profundidade e superar cada problema. Nesses tempos, voltei para dentro de mim mesma, me conectei com a minha família, com as minhas saudades e dessa forma vou criando novos caminhos.

Superar é possível quando a gente vive o problema em sua totalidade, sem fugir. É preciso uma baita coragem, eu sei. Há dores que sufocam e parecem que nunca mais terão fim. Procure compreender e ressignificar sua história. Olhe à sua volta, olhe para seus familiares, veja outros pontos de vista, converse com quem você ama e descubra outras histórias para além da sua dor. Você irá abrir a janela da sua alma e este é o primeiro passo para entender o quão importante é este processo.

Inocência Manoel