Desmistificando o empreendedorismo

Desmistificando o empreendedorismo

O título deste post pode parecer muito duro, ainda mais em tempos em que se valoriza o empreendedorismo – quando ele acontece, na maioria das vezes, por falta de opção.

Muitas vezes, empreender é a sua única escolha. Outras é um sonho. Em todas elas, está longe do glamour que te vendem nos sites sobre o assunto.
Empreender é para os fortes. Mas, sobretudo, para os teimosos. Porque, com tantos percalços no caminho, desistir chega a ser tentador.

Quando comecei, não se falava muito em uma metodologia para negócios. Eu era muito nova e o que consegui nos anos iniciais foi à base do feeling. Não havia as redes sociais, a internet e a rapidez da comunicação que hoje conhecemos. Era como tatear no escuro, e não ter medo do trabalho.

Porém, as coisas foram mudando. Em cada uma das fases da minha vida eu consegui sucesso e derrota. Os tombos foram vários e as puxadas de tapete também. Não fosse minha fé, eu teria seguido outro caminho. Porém, construir uma marca era meu destino, era como se estivesse escrito e eu nunca duvidei disso.

Os dados são reais: 60% das empresas com pouco mais de cinco anos fecham suas portas no Brasil (pesquisa de Demografia das Empresas desenvolvida pelo IBGE).

De acordo com o estudo “Causa Mortis – O sucesso e o fracasso das empresas nos primeiros cinco anos de vida”, realizado pelo Sebrae, os principais motivos de falência são a falta de planejamento, a má gestão empresarial e o despreparo de líderes e executivos.

São muitas as armadilhas escondidas nestes fatores, e nelas incluo sim a má conduta e o oportunismo de pessoas e empresas que, percebendo o potencial de um negócio, começam a trabalhar para extrair dele lucro em benefício próprio. Quando você não tem experiência suficiente, cai em alguns golpes e dificilmente se recupera.

Aí vem a resiliência, que muitos chamam de teimosia. Somente levantando de novo, sem medo de seguir em frente, com a cabeça erguida, é que você levanta. Neste processo, me apoio nos meus valores de sempre: valorizar os trabalhadores, os necessitados, olhando não somente para a frente, mas para os que estão ao nosso lado e os que mais precisam de nós.

Inocência Manoel

Resgatamos uma ninhada de gatinhos na Inoar Cosméticos

Resgatamos uma ninhada de gatinhos na Inoar Cosméticos

Os filhotes foram prontamente socorridos por colaboradores

Uma ninhada de gatinhos foi encontrada na última terça-feira (21) na área externa de nossa logística da empresa Inoar Cosméticos, em Taboão da Serra (SP). Logo que soube da história, me emocionei com a mobilização dos colaboradores para salvar os pequenos e não hesitei em ajudar.

Quem socorreu os filhotes inicialmente foi Geovani Alves, operador de empilhadeira, que buscou ajuda dos demais. A maior preocupação do colaborador foi uma das gatinhas que machucou a pata, e precisou ser atendida com urgência. A filhote, que recebeu o nome de Bianca, felizmente foi operada e passa bem.

Prontamente, decidi arcar com todos os custos da cirurgia de Bianca, além da alimentação e da castração de todos os gatinhos. Salvar os bichinhos não é uma caridade, mas sim, uma obrigação; uma atitude que diz muito sobre os valores da Inoar.

O colaborador Geovani será o novo ‘papai’ de Bianca. “Eu vou adotar a gatinha e cuidar dos ferimentos pós-cirúrgicos com responsabilidade. Já tenho uma cachorrinha em casa chamada Nala, que também foi abandonada aqui em frente à empresa. A gatinha será um novo membro da minha família”, conta.

A adoção foi divulgada internamente e, assim, logo os outros três gatinhos ganharam um lar. Bianca está bem após a cirurgia e saiu no dia 23 de janeiro da internação.

O respeito aos animais é um dos principais pilares da Inoar Cosméticos.  Há anos, minha paixão por eles motiva o apoio a causas relacionadas, como a ‘crueltyfree’, que se aplica aos produtos de beleza e higiene não testados em animais.

Há dois anos, a marca faz parte da lista do PETA (Associação de Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) de empresas “livres de crueldade”; além disto, todas as linhas capilares são veganas, ou seja: não possuem nenhum ingrediente de origem animal em sua composição.

2019. Um ano para não deixar nada para trás.

2019. Um ano para não deixar nada para trás.

A cada ano, faço uma pausa para agradecer por tudo o que passei. 2019 foi mais um ano de muitas lutas, algumas que somente os amigos mais próximos conhecem – para estes, meu muito obrigada por ouvir e pelo apoio incondicional de sempre.

O Brasil de 2019 foi uma incógnita no meio de tantas fake news e polarizações políticas que puseram em risco a economia do país e a nossa sanidade, sacudidos por notícias de desemprego suas terríveis consequências para a sociedade.

No meio desse turbilhão, trabalhamos. E como trabalhei! Quando vejo tudo o que passei, agradeço a dádiva de poder ter os pés no chão e muita força para continuar.

Quero fazer com vocês uma retrospectiva com algumas das nossas ações, com o intuito de agradecer a cada uma delas e às pessoas que participaram comigo, no dia a dia, nos bastidores, no suporte, na fé, no carinho, com a mão na massa.

Meu muito obrigada a Deus, por me permitir criar para o próximo e deixar aqui o meu legado.

Novo padrão de embalagens

Logo no início do ano, apresentamos um dos projetos da minha vida: as novas embalagens da Inoar. Fruto de anos de dedicação e estudo, à frente do Marketing, desenvolvemos ao mesmo tempo o Brand Book da marca, e os novos layouts que vocês já devem ter visto nas nossas redes sociais e nas lojas. Muito significativo para mim, cada item do layout tem uma história. E a marca agora tem um padrão e cores próprias. É uma grande realização para um ano que teve tons cinzentos e dias difíceis. Mas saímos dele com um visual bonito, alegre e vivo.

Pacto Global da ONU

Em março, assinei um dos compromissos mais importantes da minha vida: o Pacto Global da ONU. Ele é a maior iniciativa de sustentabilidade empresarial do mundo, convidando empresas a alinharem as estratégias e operações com os princípios universais de direitos humanos, trabalho, meio-ambiente e combate à corrupção, e a tomarem medidas que promovam objetivos sociais.

Tanto a Inoar quanto o projeto social que fundei, o Beleza Solidária, mantêm ações alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, cuja máxima é “não deixar ninguém para trás.”

Por conta do meu apoio, fui convidada para o 4º Fórum Empresarial dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em Nova York. Foram dias de diálogo ao lado de lideranças das mais diversas, como o Cacique Raoni, dirigentes do mundo todo, todos com o mesmo objetivo de lutar por um mundo mais justo.

Projeto Beleza Solidária

2019 foi mais um ano de grandes ações para este projeto, no qual invisto anualmente, por acreditar em seu poder transformador:

Mandela Day na África do Sul – um dia para celebrar a vida de Nelson Mandela e um convite para que as pessoas reflitam sobre a importância de ajudar o próximo. Nossa equipe da África do Sul vem apoiando um time de jovens e crianças no país. Neste ano, uniformizados com as camisas verdes da Inoar, enfrentaram seu primeiro grande jogo.

Bazar Beneficente da ONG Florescer, em Paraisópolis, São Paulo (SP) – Essa importante comunidade de São Paulo abriga a sede da ONG Florescer, associação fundada pela empresária Nadia Bacchi. Em abril, fizemos a doação de kits de cosméticos Inoar para angariar fundos para a reconstrução do local.

Entrega de diplomas do curso “Barbeiro Profissional” na Beauty Fair 2019 – O Beleza Solidária entregou o diploma aos 50 novos formandos do curso de capacitação “Barbeiro Profissional – Nível Básico” deste ano no dia 8 de setembro, durante a Beauty Fair 2019.  Com carga horária de 80 horas, a formação é destinada a homens que desejam atuar no segmento de beleza masculina.

Ação no Lar dos Velhos de Assis (SP) – Em outubro deste ano, o Beleza Solidária realizou uma ação nos Lar dos Velhos de Assis da SSVP. O trabalho levou produtos de beleza e higiene para os velhinhos, possibilitando que o lar de caridade economizasse para oferecer uma qualidade de vida ainda melhor para seus pacientes.

Evento em prol da ONG SOS Pets, em Assis (SP) – Minha paixão pelos animais motiva o apoio a causas relacionadas como a ‘cruelty free’, que se aplica aos produtos de beleza e higiene não testados em animais. No dia 18 de outubro, fizemos a doação de produtos para a realização de sorteios com o objetivo de arrecadar verba para pagamentos de atendimentos já realizados nas clínicas veterinárias a animais de rua e em situação de risco na região de Assis.

Dia da Beleza para pacientes da AVCCA em Assis (SP) – No dia 19 de novembro, o projeto promoveu um “Dia da Beleza” exclusivo para os pacientes da Associação Voluntária de Combate ao Câncer de Assis. Na ocasião, a Inoar contribuiu com produtos da marca para serem utilizados durante o evento, e disponibilizou os profissionais que foram responsáveis pelos procedimentos estéticos. Além disto, no final do evento, todos os pacientes levaram um kit de beleza da Inoar Cosméticos para casa.

Patrocínio da equipe de xadrez de Assis (SP) –  Por meio do projeto Beleza Solidária, patrocinamos o Projeto de Iniciação Esportiva em Xadrez da cidade de Assis (SP) – sustentado pelas Secretarias de Esportes e de Cultura do município, com a doação das 100 camisetas que serão utilizadas pelas crianças participantes do II Campeonato Sul-Americano de Xadrez Escolar. É  uma alegria apoiar um projeto como este, que trabalha com as crianças oferecendo uma experiência que muda significativamente suas vidas.

Doação de poço artesiano para assentamento no município de Iepê (SP) – Recentemente, o Beleza Solidária doou um poço artesiano para o Assentamento Nelson Mandela, localizado no município de Iepê, interior paulista. Em meio a dificuldades com o abastecimento de água no local, Ana Maria Moraes, proprietária do loteamento que abriga 50 famílias, fez um apelo ao Beleza Solidária. A propriedade contava, até então, com apenas um reservatório. Em breve vocês saberão mais detalhes deste projeto, que não acaba aqui.

Prêmios e menções

Por fim, não me baseio em prêmios e em menções, mas eles vieram como reconhecimento de esforço e amor ao que faço:

  • “Diploma Fundação de São Paulo” (Inocência Manoel) ACLASP
  • “Top-100 Achievements” – Inglaterra – Achievements Forum
  • “Prêmio Empresa Brasileira do Ano 2019” pelo Latin American Quality Institute (LAQI).
  • Indicação no Prêmio Época Negócios Reclame AQUI – As Melhores Empresas para o Consumidor 2019
  • Beauty Fair Trends – categoria “Vegan Manes”
  • Beauty Launchpad – Reader’s Choice – Óleo de Argan
  • Best Shampoo – Inoar Go Vegan – Vogue.com

Pode vir 2020.

Temos muito a fazer. E farei.

Bastidores de uma vida empreendedora. Capítulo 1: Coaching

Bastidores de uma vida empreendedora.  Capítulo 1: Coaching

Se eu pudesse dar uma dica sobre empreendedorismo a vocês, seria: fuja dos coaches que nunca empreenderam nada e estão ganhando dinheiro às custas daqueles que acreditam em fórmulas mágicas.

Isso não existe. E é simples assim.

Existem trabalhos de coaching sérios? Claro que sim. Como em todas as áreas. Mas, infelizmente, em sua grande maioria, a coisa tomou outra proporção que a gente não sabe se ri ou se chora, tamanhos os absurdos que tenho visto por aí.

A ideia, no princípio era boa. Muito boa. De acordo com a revista Exame, “O coaching era usado como apoio ao processo de desenvolvimento das pessoas efetivamente.”  Por meio de metodologias, um profissional habilitado (o coach) tem como objetivo elevar a performance de indivíduos ou empresas. Para isso, é preciso saber, são necessários anos de estudos em ciências do comportamento, negócios, lideranças, empresas, mercado, para a própria formação do coach.

O problema é que, toda vez que surgem cases de sucesso eles vêm seguidos de oportunistas que vão te fazer acreditar que para empreender, ter sucesso e ficar rico basta participar daquela palestra. Mesmo que naquela palestra eles obriguem você a ficar em pé gritando “Uhhuuu” ou fazendo alguma dancinha louca com finalidade motivacional. Não. Isso não funciona.

Estamos na era do conhecimento e, ao mesmo tempo, com uma grande ameaça ao conhecimento. Eu tenho muito orgulho das universidades estaduais e federais no nosso país. Só nesta semana, três notícias me fizeram ter vontade de bater palmas:

– Alunos da USP ganham prêmio com software que calcula risco de doenças crônica (Confira aqui).

– UFMG cria espuma que absorve agrotóxico da água e dos alimentos (Confira aqui).

– Aparelho de pesquisadores da USP consegue zerar dor da fibromialgia (Confira aqui).

Pode clicar nos links e ler. Todo mundo precisa se informar sobre quão importantes são os projetos científicos do nosso país (com tristeza, ameaçados pelos corte a pesquisas das universidades).

E é disso que estou falando: o conhecimento, meus amigos, é profundo. Se você quer fazer alguma coisa, se você quer empreender, precisa ir no fundo.

No raso, ficam as fórmulas mágicas, as palestras de líderes de torcida e uma massa doida para acreditar em gurus, mentiras e fake news.

Muito cuidado: em tempos sombrios, em que o conhecimento se torna uma ameaça, você corre o sério risco de se formar na Universidade do WhatsApp.

Inocência Manoel

Coloração vegana? Temos!

Coloração vegana? Temos!

Há alguns anos, tenho trabalhado para deixar um legado para a marca Inoar, fundada por mim e pelo meu filho, Alexandre. Eu acredito que uma empresa está além de fabricar e vender produtos. Nós estamos aqui também para contribuir para o desenvolvimento das pessoas, da indústria, do país.

Mais do que uma marca, somos uma história. E para mim ela precisa estar conectada com o mundo em que vivemos, em uma troca constante com nossos consumidores, com nosso entorno, com a natureza.

Ao assinar minha adesão ao Pacto Global da ONU, eu já estava certa de que todo este trabalho tem um propósito. E isso me dá mais certeza do nosso caminho.

Todos os nossos shampoos, condicionadores e tratamentos capilares, além dos dermocosméticos, são veganos. Isso significa que eles não têm ingredientes de origem animal e não são testados em animais, em hipótese alguma.

Se 2018 foi o ano em que consolidamos este posicionamento, 2019 vem para mostrá-los nas embalagens e em novas linhas também.

2019 vai ser o ano da nossa coloração vegana, que adianto para vocês neste post, e está em fase de finalização.

Com uma fórmula inovadora, alta cobertura e performance superior, vocês não perdem por esperar a nossa Inoar Color!

Post_colorsystem

 

Pacto Global da ONU. Eu apoio!

Pacto Global da ONU. Eu apoio!

Na última sexta-feira (5 de abril de 2019) recebi um e-mail que já estava esperando há alguns dias e que confirmaria o meu feeling tão aguçado – as boas-vindas ao Pacto Global das Organizações das Nações Unidas – ONU.

A Inoar tornou-se, assim, participante desta importante iniciativa de sustentabilidade empresarial graças ao meu apoio incondicional aos seus princípios universais de direitos humanos, trabalho, meio-ambiente e combate à corrupção.

Há muitos anos venho insistindo em fazer uma empresa diferente. Digo insistir pois no mundo empresarial é preciso vencer algumas barreiras, criar novos hábitos, “matar um leão por dia”, para poder construir um negócio de valores (que não necessariamente tem a vem com dinheiro).

Assim, como vocês já conhecem, é meu investimento pessoal, de tempo, de dinheiro, e um investimento emocional também, que impulsiona a iniciativas sociais do projeto Beleza Solidária. E são elas que fazem com que a gente se aproxime mais de iniciativas tão importantes para as questões humanas para quem todo empresário tem o dever de olhar.

É por meio do projeto Beleza Solidária que as identidades de pessoas das bases da pirâmide social são resgatadas em cursos de capacitação e ações emergenciais em parceria com ONGs, no Brasil e no mundo.

Estamos também comprometidos com a questão da representatividade, acreditando na importância de mulheres, negros, LGBTs, pessoas com deficiência e outros grupos ocupando mais espaços, no dia a dia, em suas parcerias, e em sua comunicação.

A Inoar garante que os direitos dos trabalhadores sejam respeitados e contribui para a abolição de todas as formas de discriminação, especialmente pelo Projeto Mais Sessenta, para a contratação de profissionais maduros.

Reafirmamos nosso posicionamento com a questão da biodiversidade, desenvolvendo cosméticos veganos, sem testes em animais e sem ingredientes de origem animal, e também estamos comprometidos com o uso de matérias primas e processos que não agridem o meio-ambiente.

A Inoar apoia, ainda, a luta contra a corrupção, extensiva a todos os colaboradores, executivos, diretores e sócios, em sua sede e rede de distribuidores.

As ações práticas que a Inoar vem desenvolvendo ao longo dos anos têm total sinergia com os princípios estabelecidos pelo Pacto Global: Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Luta Contra a Corrupção. Agora, somos participantes desta grande iniciativa da ONU, que vem reforçar tudo aquilo em que sempre acreditei.

Inocência Manoel

Post_PactoGlobalOnu

Mulheres têm prazo de validade?

Mulheres têm prazo de validade?

 

“Cheguei aqui à meia-noite, dormi na fila e acabei de ser descartada, como se eu fosse um lixo”, diz Edna Teixeira, de 58 anos, cabisbaixa.

A frase ilustra uma dura matéria da BBC News Brasil sobre o drama das pessoas com mais de 50 anos que passam a noite na fila e saem sem trabalho do Mutirão do Emprego. (Confira aqui).

E ela vem reforçar muitas das minhas constatações sobre carreira, preconceito e algumas histórias que vivi na pele e ainda sinto, como mulher e empresária.

Depois de uma vida inteira dedicada ao meu sonho de criar produtos e desenvolver marcas, o que chamam de sucesso só chegou mesmo, para mim, aos 55 anos de idade. Antes disso, foi luta atrás de luta, com derrotas no meio.

Porém, a trajetória de uma mulher que opta por seguir nesta carreira é permeada de preconceito, como se eu não tivesse o direito de estar aqui, fazer o que faço, chegar onde cheguei.

Num país em que as mulheres assinam 72% dos artigos científicos publicados, ainda somos minoria. O desemprego é tradicionalmente maior entre as mulheres. Ao lado dos jovens e dos pretos e pardos, a população feminina é das mais afetadas pela falta de oportunidades no mercado de trabalho.

Por outro lado, quem está no mercado de trabalho, tem suas lutas diárias contra o preconceito. Não é só no Brasil, mas costumam de achar mais nova do que realmente sou, e aí, quando revelo a minha idade, os olhares mudam: “Ah, mas você já pode se aposentar.”

Dizem que a mulher esconde a idade, mas por diversas vezes nos vemos obrigada a isso. Algumas vezes, para esconder a pouca experiência. Algumas vezes, para esconder que não estamos nem perto de parar. Dentro da minha própria empresa, um diretor geral tentou me aposentar.

Quando me tornei avó, então, tentaram me colocar na forma de uma avó tradicional. E na minha melhor idade, precisei lembrar a todos que eu não sou quem esperam que eu seja. Eu sou feita das minhas experiências, dos meus erros, meus acertos, meu repertório cultural e de vida. E não estou aqui para satisfazer a expectativa de ninguém. Como diz a incrível Martha Medeiros:

“Adoro massas cinzentas, detesto cor-de-rosa. Penso como um homem, mas sinto como mulher. Não me considero vítima de nada. Sou autoritária, teimosa e um verdadeiro desastre na cozinha. Peça para eu arrumar uma cama e estrague meu dia. Vida doméstica é para os gatos.”

Tirando a parte da cozinha e do cor-de-rosa, me identifico. Nunca me encaixei em padrões, vão querer me formatar agora?

Se na minha juventude abri mão de tantas coisas, agora vou fazer tudo o que deixei para trás. Comecei a fazer uma nova faculdade. Vou voltar a dançar. Quero aprender mais um idioma. Estou estudando novas tecnologias e modelos de gestão. Vou voltar a dar palestras. Estou criando novas marcas. O mundo é do tamanho da gente.

Hoje, tenho um filho bem casado, bem-sucedido, por quem trabalhei muito. E com isso, tenho plena convicção de que chegamos aqui íntegros e agora é hora de me ressignificar.

Mulheres sofrem preconceitos e pré-conceitos. Quem disse que, depois dos sessenta não podemos ter cabelos compridos, usar jeans e camiseta? Onde é que está escrito que meu cabelo precisa ser branco, ou platinado, ou prateado?

Hoje o tempo é meu. No período mais rico da minha vida, quem quiser seguir meu ritmo, pode chegar. Se não, eu já danço a dança da vida sozinha mesmo. E feliz, obrigada.

Coloco toda essa reflexão aqui em um momento em que é desumano olhar a fila do desemprego e ver tantas mulheres, senhoras e os idosos ainda tendo que lutar por sobrevivência – não por seus sonhos.

Na Inoar, idade nenhuma nunca foi pré-requisito para uma contratação. A empresa reflete meus valores pessoais, e estes estão muito à frente. Pessoas e mulheres não têm prazo de validade.