Para além das fronteiras: a diversidade é um dos maiores ativos de uma empresa.

Muito se fala da importância da diversidade para a cultura das empresas, e eu sempre percebi o quanto as diferenças somam ao ter contato com os nossos clientes de outros países.

Muito mais do que conhecer novos lugares, estar presente em todo o mundo me possibilitou ter um olhar mais generoso para aquilo que é diferente de mim.

Essa riqueza global de pessoas, cores, sabores e cheiros somam experiências e sentidos, e coloco um pouco de tudo o que vivi ao desenvolver produtos tão democráticos para as pessoas.

Uma pesquisa recente realizada pelo Boston Consulting Group (BCG) analisou 1700 empresas diferentes em 8 países, com diversos segmentos de negócios e tamanhos.Os dados obtidos revelaram que o aumento da diversidade nas empresas tem impactado diretamente nos resultados.

As empresas com equipes de gerenciamento diversificadas garantem receita 19% maior, principalmente devido à inovação.

E como isso acontece? Ter perfis diversos é somar um mundo de ideias diferentes em prol de uma coisa só. Idades diferentes, cores, gêneros, orientações, cultura, conhecimento…

É como viajar estando dentro da nossa própria companhia.

Conhecer os nossos clientes ao redor do mundo me deu insights valiosos nesta jornada. O que aprendi com os cabelos do Marrocos, da África do Sul, da Rússia, de Portugal… são dados que, transformados em produtos, certamente irão trazer mais possibilidades e atender mais pessoas.

E isso, por si só, é uma enorme realização para mim. Não quero ser somente uma pessoa do mundo, mas trazer o mundo para tudo aquilo que eu criar.

E é por falar deste universo vasto que meu convidado de hoje nesta série de entrevistas é o nosso Diretor de Comércio Exterior. Conheça mais do Percival Landherr.

Percival Landherr

Diretor de Comércio Exterior

– Conte pra gente como foi seu começo na Inoar?

Entrei na INOAR por indicação de dois funcionários da empresa e devido à minha experiência em comércio exterior. Conheci a D. Inocência em uma reunião da diretoria sendo apresentado pelo Mário Scagliusi,Diretor Financeiro da Empresa.

Minha trajetória profissional no comércio exterior começou na extinta Industrias Villares,gigante metalúrgica à época,na divisão de elevadores e escadas rolantes,marca Atlas,em setembro de 1987.

Dando sequência à minha carreira no comércio exterior,trabalhei para 4 multinacionais americanas na área de embalagens,empresas de grande porte com faturamento anual entre 6 e 30 bilhões de dólares.

– Quais são os desafios e aprendizados no seu dia a dia?

Acho que um dos maiores desafios é conhecer as particularidades de cada país,suas etnias,suas necessidades e estar sempre pronto a responder às questões apresentadas pelos nosso distribuidores.

Particularmente no corrente ano,foi administrar a falta de opções de fretes devido à alta demanda e planejar os embarques de forma correta junto à nossa logística para que nossos distribuidores não ficassem sem produtos.

– Cite um dos melhores momentos da sua carreira.

Acho que foi quando,aos 33 anos fui convidado para ser Gerente Geral de uma planta da Alcoa,no Peru, sendo o número da empresa naquele país.

– Que momento da sua jornada profissional na Inoar você leva para a vida?

Para mim, é a questão do respeito às diferenças,respeito ao meio ambiente,respeito ao crescimento sustentado,respeito aos animais.

Foto: Percival e o distribuidor da Inoar na Polônia.

Beyond borders: diversity is one of a company’s greatest assets.

There is a lot of talk about the importance of diversity for the culture of companies, and I’ve always noticed how much differences add up to having contact with our customers from other countries.

Much more than discovering new places, being present all over the world allowed me to have a more generous look at what is different from me.

This global wealth of people, colors, flavors and smells add up to experiences and senses, and I put a little of everything I experienced when developing products that were so democratic for people.

A recent survey by the Boston Consulting Group (BCG) looked at 1700 different companies in 8 countries, with different business segments and sizes. The data obtained revealed that the increase in diversity in companies has had a direct impact on results.

Companies with diverse management teams ensure 19% higher revenue, primarily due to innovation.

And how does this happen? Having different profiles is adding a world of different ideas in favor of one thing. Different ages, colors, genders, orientations, culture, knowledge…

It’s like traveling within our own company.

Getting to know our customers around the world has given me valuable insights on this journey. What I learned from the hairs of Morocco, South Africa, Russia, Portugal… are data that, transformed into products, will certainly bring more possibilities and serve more people.

And that, in itself, is a huge accomplishment for me. I don’t want to be just a person of the world, but to bring the world to everything I create.

And it is because of this vast universe that my guest today in this series of interviews is our Foreign Trade Director. Learn more about Percival Landherr.

Percival Landherr

Foreign Trade Director

– Tell us how was your start at Inoar?

I joined INOAR on the recommendation of two company employees and because of my experience in foreign trade. I met D. Inocência at a board meeting being introduced by Mário Scagliusi, the Company’s Chief Financial Officer.

My professional trajectory in foreign trade began at the extinct Industrias Villares, a metallurgical giant at the time, in the elevators and escalators division, brand Atlas, in September 1987.

Continuing my career in foreign trade, I worked for 4 American multinationals in the packaging area, large companies with annual sales between 6 and 30 billion dollars.

– What are the challenges and lessons learned in your daily life?

I think one of the biggest challenges is to know the particularities of each country, their ethnicities, their needs and always be ready to answer questions raised by our distributors.

Particularly this year, it was managing the lack of freight options due to high demand and planning shipments correctly with our logistics so that our distributors did not run out of products.

– Name one of the best moments of your career.

I think it was when, at age 33, I was invited to be the General Manager of an Alcoa plant in Peru, which is the number of the company in that country.

– What moment of your professional journey at Inoar do you take to life?

For me, it’s about respecting differences, respecting the environment, respecting sustainable growth, respecting animals.

Photograph: Percival and Inoar’s distributor in Poland.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s