Das nossas mãos para as suas.

Das nossas mãos para as suas.

Na semana passada eu dei duas entrevistas e, quando respondia às perguntas dos jornalistas, fazia uma retrospectiva da minha história e da história da Inoar. Tudo o que passamos, o que vivemos e construímos foi muito revolucionário, até mesmo para um mercado que vive de inovações. Porém, o que fazemos está sempre além. Quebramos paradigmas, inventamos tendências e vivemos na contramão.

O Marketing e os novos tempos: o que ainda fará sentido depois de uma pandemia?

O Marketing e os novos tempos: o que ainda fará sentido depois de uma pandemia?

Na Inoar, nascemos em um mundo e estamos em outro, depois de tantas mudanças. Quando eu comecei a vender meus produtos, ainda batia de porta em porta para apresentá-los a salões de beleza. Era o auge do boca-a-boca, do trabalho da revendedora. Depois, com a empresa estruturada, tudo isso deu lugar às redes sociais, ao marketing de influência, ao digital, à experiência do usuário, ao omnichannel.

A alma do negócio

A alma do negócio

Todo mundo diz que a propaganda é a alma do negócio. Essa frase fazia sentido pra mim antes mesmo de eu ter um negócio. Sempre fui apaixonada por comunicação, redação, jornalismo, artes, cultura, temas que enriquecem as pessoas das mais variadas formas e eu acredito que a propaganda bem-feita consegue conter dentro dela mesma um pouco de todo esse repertório que as pessoas vão somando na vida. Acho que é um pouco de arte, um pouco de negócio. E é o que faz a vida ter graça no final das contas.